segunda-feira, agosto 07, 2006

Longas são as noites...

Em www.fotolog.com/vanish_ladies


Longas são as noites quando o burburinho das ideias me tolda o silêncio dos sonhos. Atordoa-me a vontade de rasgar palavras ao papel, como se assim despedaçasse os pedaços mortos dos pensamentos que não ousei dizer. Há uma qualquer agonia no que escrevo, como se em cada frase doessem os gritos que não dei e tudo o que optei por calar em mim. As palavras que desmaiam nos meus lábios, esquecidas de acontecer, mais tarde ou mais cedo queimam-me o coração. Não sou de rancores, quebro os laços e perdoo o que silenciarei para não mais retomar.

Não gosto de cinzentos, de indecisos, de meios termos. A navegar aprendi a apaziguar as tempestades, mas também a fugir dos céus despidos de estrelas. Já carrego suficientes dúvidas comigo e o desafio de me enfrentar dia para dia; complicações de sobra, diria. Admiro a ira dos ventos e das ondas que nos fustigam, para mim, contudo, apenas almejo o pôr, antiquado e um pouco melancólico, do sol. Ardi em tormentos mil para domesticar as sereias que me cantavam tentações aos ouvidos, agora não vou abdicar da tranquilidade quase outonal da minha travessia. Quero um traço inequívoco na linha das tuas mãos; despedacei todos os esquissos e sombras. Queres fábulas, eu dou-te lendas; mas tudo escrito em papel vegetal porque os trunfos devem estar à vista. É este o meu abrigo, as minhas regras, o meu único pedido. É este...

Longas são as noites quando a vontade não pode mais que o desejo. Um passo separa-me dos corpos abandonados das palavras que não disse, percorro-o, sangrando um pouco, mas ciente de que é esta a minha verdade. Arrisco e não temo, se a compreensão requer coragem. Porque desta vez eu não coleccionarei fantasmas, porque hoje soltarei os monstros debaixo da cama. Esta noite, liberta do peso dos silêncios, respirarei profundamente a tua presença e, feliz, adormecerei...

8 comentários:

what_about_neruda? disse...

onde está agora o murmúrio que nos corroeu tantas noites? o som dos arbustos, das folhas? os cabos que batiam lentamente ao ritmo dos nossos sonhos? batem os ponteiros da meia noite... a noite torna irreversivel a vontade que surgiu apenas umas horas antes... tal como a ira dos ventos... será dito e feito!!! acabaram-se os riscos, as aventuras, apenas surge em ritmo lento e seguro, ataraxia, é mesmo o que desejas??? ;)

S. disse...

Os adamastores de hoje alimentam-se das superstições que carregamos, mas eu já dobrei o meu cabo das tormentas e não vou olhar para trás. Sim, o que desejo é a ataraxia despretensiosa do mar calmo onde cheguei. Como todos os outros, ando atrás da luz, sou pirata de sonhos, procurando roubar suspiros à outra face da lua. E isso basta-me, sabes, o desafio de evitar as correntes, de saquear tesouros a almas sedentas de luz. Os duelos que travo não sangrarão mais.
O murmúrio que antes me manteve acordada, agora adormece-me como uma doce melodia sussurada aos meus ouvidos. A vontade tem contornos de saudade e os desejos são simples, desmistificados, porque já abandonei o tempo das trevas. Não se acabaram os riscos, nem as aventuras, só as ilusões e as quimeras.
É este o meu caminho.

El Guerrilhero!! disse...

Gostei desta tua versão do Pedro Abrunhosa: P
Sim muitas vezes Longas são as noites que passamos a tentar perceber qual o nosso caminho e o porquê de ás vezes termos de sofrer para chegamos aquilo que podemos chamar de pequenos fragmentos de Felicidade.. Eu sei que custa, dói, também passei por isto muitas vezes e se calhar tenho muitas marcas e feridas por causa disto... Mas estas Longas noites serviram, também para aprender e seguir em frente.. Continua esta tua viagem, já dobraste o cabo das Tormentas, agora só te falta continuar esta tua caminhada.. Uma caminhada para a Felicidade, mas cuidado, pois imprevistos e tempestades acontecem... Mas deves seguir sempre em frente.. Para o teu El Dorado Sammy... Eu estarei sempre contigo, em espírito ou em pessoa...

Jinhos queridos!!

Marquês was here!!

Bernardo disse...

Ao acordar, as vezes queremos o mundo, keremos a luz e o barulho...Outrass vezes o silencio, a calma e o fundo do mar...
O mesmo acontece antes de adormecer..queremos falar, gritar, cantar...
Passamos horas a pensar em istorias, e situaçoes k passamos, a pensar no k podia ter feito, onde podia ter arriscado...penso nos ses...e se...a cada noite um se diferente..um mundo de sonho e de aquiloo k eu keria naquee momento...mas e se os ses sao outros??é uma noite calma, onde pensamos o kt bom foi aquele dia, que nada podia ter corrido melhor..é a calma de termos tido o k nós keriamos...temos tido os ses k não podiam ter sido diferentes...nesse dias, somos adormecidos com uma doce melodia, k nos embala e k noós sabemos estar protegidos...mesmo sabendo k é só por aquela noite...
****

Serpente Emplumada disse...

Visitei-te e gostei muito da naturalidade com que escreves. voltarei

Pecado Original disse...

"Longas são as noites quando a vontade não pode mais que o desejo"

sabes o que é isto? Um certo pecado que me ilustra.

Escreves divinamente e com gratidão te receberei no meu blog.

Voltarei quando o tempo me permitir.
beijinho

Mike... disse...

Olá Samanta, passei para te agradecer a visita e dizer que achei o teu espaço mt agradável...vou conhecer o resto da casa...até já.

Sandra disse...

Oh minha linda os teus textos deixam-me sempre sem palavras!Texto fantástico!É impossível não nos identificarmos com algumas partes!
Adorei a última frase!Espectacular!
Bjinho muito grande*****